JÁ NÃO SE ESCREVE MAIS COMO ANTIGAMENTE….

Artigo Publicado no site Portal da Educação Física – novembro/2009

Essa afirmação não é uma verdade absoluta entre os idosos. Pelo contrário, é comum encontrarmos pessoas acima dos 60 anos com uma caligrafia bonita e caprichada. É claro que aqui não estamos considerando os que não tiveram oportunidade de formação escolar regular.

O que nos surpreende é como o ato de escrever hoje ficou eliminado pelo computador. Cartas e bilhetes caíram em desuso. Agora nos comunicamos muito mais através de meios eletrônicos: email, MSN, Orkut, Twitter, etc.

Essa rotina ainda não faz parte da vida da maioria dos idosos. São poucos os que se privilegiam desse contato e dessa aprendizagem, por enquanto.


Vida é movimento… Movimento é ação… Ação é viver!

É importante uma caligrafia clara, nítida e até bonita. Nisso os idosos estão superando os jovens que estão “queimando” fases fundamentais do processo da escrita e com isso apresentam comumente dificuldades de ortografia.

Antes de usar o computador no dia-a-dia é preciso treinar-se a caligrafia, até obter uma escrita que seja compreensível para os outros, já que garranchos no papel e dificuldade para escrever manualmente podem ser indícios de distúrbios.

Longos períodos sem escrever à mão podem também piorar essa dificuldade. Afinal escrever é como fazer ginástica: quando se volta a se exercitar após uma fase de descanso, o corpo sente.

Nesse sentido os idosos levam vantagem, já que muitos gosta mde escrever cartas, textos, listas, agendas, etc. Só que eles fazem dessa prática um instrumento de exercício da memória – quando escrevemos registramos aquilo que não devemos ou queremos esquecer.

Dessa relação e comparação, fica-nos duas questões:
– Escrever a mão ou digitar?
– Ler ou assistir TV?

Nossa resposta psicomotora: – tudo que passa pelo movimento ativo corporal, que coloca o corpo em ação é vivido e internalizado, estimulando o cérebro como numa ginástica vital.

A passividade, comodismo, facilidade da vida moderna pode ser muito bom e prático, mas é o caminho mais curto ao sedentarismo, obesidade e patologias.

Cacilda Gonçalves Velasco
Professora, Pedagoga e Psicomotricista
Presidente da  ASSOCIAÇÃO VEMSER (www.associacaovemser.org.br)
http://lattes.cnpq.br/2699937931926098